Thursday, September 02, 2010

O CASAMENTO GAY

Um casamento gay, caso um dia seja aprovado no Brasil, obrigatoriamente tem de ser à tarde, de preferência numa sexta ou num sábado. Ora, para que no final da cerimônia todos fossem comemorar e dançar bastante naquela boate bem movimentada. Tem que ser à luz do dia para poder usar aquele terninho rosa bebê e as abotoaduras de Swaroviski. Os convidados mais conservadores irão todos com vestes adequadas ao seu gênero original (se a parteira disse que é macho, vão todos de terno; se ela disse que é fêmea, vão todas de saia), e os mais resolvidos e babadeiros poderão ir montados se assim o desejarem, mas desde que a roupa seja comportada, sempre respeitando o local.
Os gays pagam um preço altíssimo para serem quem são, e isso ficaria refletido na decoração muito extravagante que os noivos iriam encomendar para a amiga decoradora. Aliás, a igreja nem precisa ser a mais chique da cidade, contanto que seja a mais chamativa. Por exemplo, seria bom se fosse uma daquelas com escadarias enormes para acolher todos os convidados e posicioná-los confortavelmente para a hora das fotos e da chuva de arroz.
Eventos importantes sempre devem ser noticiados nas colunas sociais, e casamentos gays não podem ser exceção. Nem que para isso os dois tenham de passar meses a pão e água para economizar a grana e pagar a nota.
O ponto alto de toda celebração como essa é a hora do buquê. Um dos noivos, possivelmente o melhor dotado de coordenação motora e feminilidade, faz o lançamento das flores. Mas nada dessa coisa brega de ficar de costas para as amigas e jogar as flores para todas se matarem. Não! O noivo selecionado puxaria uma cordinha no canto da sala, e então pétalas, confetes e serpentinas cairiam numa grande explosão. No mesmo instante, uma música da Lady Gaga começaria a tocar. Ao chegar no seu ápice, os convidados compreenderiam a mensagem e ficariam a dar pulos nas pontas dos pés, com as mãozinhas fechadinhas próximas ao corpo.

Crônicas a parte, é bem triste o que vem acontecendo com os gays ultimamente. Em uma de suas aparições, o Papa Bento XVI disse que o casamento entre pessoas do mesmo sexo é uma rebelião consciente contra o que Deus estabeceu na Criação. Uma ameaça. Por que restringimos o casamento somente aos heterossexuais? Se a resposta é procriar, então devemos permitir que casais com problemas de fertilidade ou demasiado velhos se casem? De qualquer forma, não cabe a maioria decidir. Quando o preconceito é levado em consideração, a democraria nem sempre é o melhor caminho.

15 comments:

Guto Angélico said...

Nossa adorei a crônica ! E realmente não vejo o pq dessa proibição, é uma forma de celebrar o amor. Não há motivos para negação.

Camila said...

Muito bom, Ewan. Apoiadíssimo!
Não cabe a nós decidir quem pode ou não se casar. Se não estão roubando, nem matando, nem fazendo nada de ruim pra ninguém, então por que haveria de ser pecado? Que sejam felizes, isso é o que importa. ;)

Danilo Sebadinni said...

Olha... A cronica nao eh ruim, muito bem escrita e divertida de ler.
Sou gay, e nao sei se sou totalmente favoravel ao "casamento" . Sou a favor de sim, morar junto construir um relacionamento solido de parceria, amor e estabilidade. Acho que sou ate meio machista por achar que o casamento eh algo sim, para os heterossexuais. Pelo menos nos dias de hoje, onde os gays de julgam militantes por este ideal, organizando parada gay na Paulista, e tudo, mas ao chegar la, dos 3,5 Milhoes que participam, no maximo 100 mil sabem o "tema" proposto.
As coisas deveriam ser mais esclarecidas, os gays deveriam levar seus ideais mais a serio antes de reinvindicar este tipo de "direito".
Sou obrigado a fazer aquela pergunta: "Qual a credibilidade do palhaco"?

Ps.: Sei que nao sao todos os gays que sao "palhacos", mas um que faz errado, acaba destruindo toda historia. Nao?

Anonymous said...

muito bom :)

anakaaa said...

Eu adorei. Mas eu não concordo em legalizar. Isso ja é palhaçada. Não sou gay, e nem tenho preconceito quanto a isso. Tenho amigos que são e tal. Mas casar tambem já é forçado. Casar é uma união de homem e mulher, não de ambos os sexos. Eu acho ridiculo isso, e realmente não sou a favor. Não por preconceito deixo bem claro.

Leonardo said...

Ótimo! Gostei rss

Maria Fernanda said...

Execelente ponto de vista, Ewan. Acredito, sim, que as pessoas vão conviver um dia com as diferenças e escolhas. Sou super à favor do casamento e relacionamento gay, mas, como disse o colega Danilo Sebadinni, as pessoas que promovem o homossexualismo e não sabem o que ele representa, deveriam começar a rever seus discursos. Ah sim, isso ocorre também em outros tipos de preconceito, claro. Na verdade, ninguém está com a razão e muito menos, deve se sentir oprimido por ser isso ou aquilo, tem que tomar atitudes para que as situações mudem, porque a maioria dos preconceitos é uma questão cultural. Gostei do post!

Lua said...

Tudo isso me fez lembrar do casamento que teve aqui em Recife no ano passado: http://www.noivasdobrasil.com.br/2009/09/casamento-gay-do-ano-em-recife.html
Na época foi o maior babado de tão chique que foi! =)

Gabi said...

Acho engraçado isso, a pessoa se diz "sem preconceito", mas acha "palhaçada" casamento gay. OI? POR QUÊ? Não há motivo lógico que explique casamento ser só entre um homem e uma mulher.
Eu sou a favor de uma lei que assegure os direitos civis em uniões homossexuais - aqueles que todos os heterossexuais têm SEM TER QUE PEDIR. Nada relacionado à igreja, claro, liberdade e constituição e blá blá blá.

A respeito da crônica, eu só tenho a dizer:
Ewan, casa comigo? *-*

Ewan Pallottini said...

Claro que caso, Gabi.
Não pensei que esse assunto ia gerar comentários tão polêmicos. Estou adorando!

Raquel said...

Pois é, essa desculpa de ser apenas para procriação é um pouco falha.
Gostei muito. =D

ps.: Adorei a ideia de cairem pétalas na hora de jogar o buquê. Se um dia eu casar, vou usar isso. rsrs

Kastanho said...

Casamento, pelo menos pra mim, é sinônimo de amor. E este não tem fronteiras. Então pra que limitar? Se duas pessoas querem se unir com uma cerimônia para simbolizar o amor, porque proibir?

Como diria um troll por aí, não faz sentido.

Kastanho said...

Casamento, pelo menos pra mim, é sinônimo de amor. E este não tem fronteiras. Então pra que limitar? Se duas pessoas querem se unir com uma cerimônia para simbolizar o amor, porque proibir?

Como diria um troll por aí, não faz sentido.

Mister Neurotic said...

Tudo tão lindo que estou com vontade de me casar, mesmo não tendo ninguém. Muitos podem pensar coisas como, casamento é junção de homem e mulher, para quê ter o mesmo sobrenome? Essa coisa de herença e direitos é furada, pois só viver junto já basta. Mas NÃO, tem muitos que não pensam assim e querem esses direitos. E nada mais justo do que obterem isso. Até porque preconceito, visão fechada, ignorância e irracionalidade não combinam com o que deveria ser democracia.

Anonymous said...

Eu tbm não tenho ninguém sou IGOR tenho 19 anos estudo tc em enfermagem.. e estou querendo alguém que mim complete.. rsrs ai está meu facebook YGOR VALMIR